2

Ricardo e as safadezas!

Ouvi uma mulher de meia idade dizer uma vez que existem dos tipos de homens:
Existem os "safados" e os "príncipes encantados". E ela ainda acrescentou que os príncipes encantados as mulheres só vão querer após os trinta, quando vão pensar em casar e ter filhos. São os safados os escolhidos para a juventude!
Pensando nisso, comecei explorar um pouco minha fama de conquistador, a questão é: eu não era um conquistador, nunca fui, a fama caiu no colo e eu escolhi abraçar, mas, como mantê-la? Principalmente por que, para a minha surpresa, a "vizinha bonita" se afastou de mim. Gozado não? Enquanto estava namorando ela vivia no meu pé. Quando estou solteiro, ela mal fala comigo!
Bem, a curiosidade sempre foi uma grande motivação para mim, e se, me inquietava saber por que a vizinha tinha sumido, então eu provavelmente iria atrás de saber. E eu fui! Perguntava o que tinha acontecido, e ela, simplesmente dizia que não tinha acontecido nada. Que estava e tudo bem e que nos encontraríamos depois. Acontece que depois não tem data definida, é ruim esperar um "depois" não é?! Se falar com ela não estava dando certo, me veio à cabeça a "brilhante idéia" de mandar cartas... Olhem, vocês vão perceber que, talvez os maiores erros na minha vida aconteconteceram envolvendo cartas! Cartas não me dão sorte!
Na minha cabeça eu precisava da vizinha para efetivar minha fama de conquistador, e assim, ficar com quem eu quisesse, depois que acabasse o lance com ela! Só que, para ela já tinha acabado, e claro que eu não sabia disso e muito menos eu tinha me transformado no conquistador que eu desejava ser, e só para piorar caros amigos, escrevendo cartas me vi gostando pra valer dela. E piorou quando, para tentar vê-la, eu passava a ir encontrá-la na saída da escola onde ela estudava. Esperava horas, parecia que ela sabia que eu estaria lá, e demorava ainda mais, aparecendo muito tempo depois com um amigo de orientação sexual duvidosa que parecia estar muito mais afim de mim do que ela!
A questão é que o ser humano parece ter problemas para aceitar rejeição, no auge dos meus 16 anos, eu insistia porque não entendia o motivo de não mais tê-la me procurando. Eu não entendia que às vezes existem perguntas que as respostas são tão óbvias, o que consola é que essas respostas vão se tornando com tempo mais claras... Até um belo dia em que ao dobrar uma esquina me deparo com ela, agarrada com um menino, ela não me viu e por alguns minutos fiquei observando tudo àquilo de longe. Senti levemente uma lágrima cair em meu rosto impulsivamente, não sabia por que, mas também não queria mais respostas, apenas lembrei uma música e saí cantando ela baixinho.
A música era "Não uso sapato - Charlie Brown Jr." talvez não coubesse muito no contexto, mas de alguma forma me impulsionou a ver que não sendo um conquistador de natureza, seriam as minhas vivências que me transformariam num safado de carteirinha.
Fim de semana seguinte haveria o aniversário de uma amiga, motivo para reunir muitos e muitos amigos numa festa. Já entrei na festa cantando baixinho...
"Eu vou mudar tudo o que não me convém..."
E preferindo pedir permissões ao invés de perdões, comecei a encarar uma menina, olhar fixo, copo de refrigerante na mão suada e pernas tremendo como sempre, mas dessa vez nada me impediria, fui em sua direção, e sem diálogos trouxe ela para mim, pela nuca. Naquela festa eu fiquei com outras três meninas, assim, do mesmo jeito, sem me importar com nomes, de onde vinham, se acreditavam no amor ou se gostavam de cartas... Enquanto ficava com todas as quatro, a única coisa que foi permanente na minha cabeça foi certo refrão...
"Eu não sei fazer poesia, mas que se foda..."
Parece que as lições começavam a me edificar.
Fernando Martilis

0

A partir de "Pra você"

Você não sabe o tamanho da alegria
Que sinto ao te ver
Daquelas alegrias sabe?!
Que preenche a saudade!
Você nem imagina que é o
"Pensar em ti" antes de dormir
Que me faz ter os mais lindos sonhos!
As mais intensas e gostosas sensações
Que alguém pode sentir,
Você não sabe, mas,
Foi você quem me proporcionou!
Você não sabe que é o meu consolo,
O meu carinho,
E que meu sorriso mais sincero
Só se expressa pra ti.
Não sabe que meu maior desejo
É somente
Que um dia
Você seja "pra mim"!

Fernando Martilis

0

O último romântico.

Sabe como mataram o último romântico?
Com nãos!
Com falas e gestos
Fazendo-o acreditar que
Sentimentos não valem a pena.
Transformando o caminho
Do descartável mais tentador
Do que o cultivar!
Isso mesmo,
Mataram o último romântico usando-o
Assim como se usa tudo
E descarta-se depois.
Mataram o último romântico
Não sentindo!
Deixando-o sentir sozinho,
Fazendo-o acreditar
No que não existia,
Ao mesmo tempo em que destruiam
Suas crenças nas causas perdidas!
Mataram o último romântico mostrando
Para ele, exatamente,
Que ele era o último dos românticos!
E que assim estava ele fadado a ser sozinho.

Fernando Martilis

0

A partir de "Tententender"

Eu estou pronto pra fugir de tudo,
Estou aqui esperando pra chegar no meu próximo destino.
Estou pronto para não mais te ver,
Para não mais ter que dizer o que não foi dito!
Porque toda vez eu tentava falar
Eu apenas constatava que tudo acabou
E depois me via com mais um milhão de coisas que poderiam ser ditas,
Para tentar mudar as coisas,
Mas eu não quero falar mais nada,
Eu não quero que mude mais nada!
Hoje eu só dúvido de tudo o que vivi,
Dúvido da verdade como dúvido da mentira!
Não compreendo, não me compreendo,
Não compreendo como tudo acontenceu
E não compreendo como cheguei até aqui.
Mas, tenho certeza que se por um só momento
Você olhasse nos meus olhos
Entenderia
As consequências do que fomos,
Entenderia
Porque escrevo essas palavras e
Entenderia
A minha fuga.
Tudo o que eu podia fazer
Resultou em estar distante, e sinceramente,
Não é tão ruim!
Na verdade é bem melhor do que encarar
Que na nossa escalada de sentimentos
Não passamos de nós mesmos.

Fernando Martilis

1

Ao natural

Sou um defensor assíduo da
Não-maquiagem!
Embora as mulheres fiquem lindas produzidas,
Porém encantadoras, elas realmente são ao natural!
Desculpem-me moças que não largam por nada suas necessaries mas,
A beleza real da mulher,
Na minha humilde opnião,
Está na naturalidade!
Para mim não tem coisa mais linda
Do que uma mulher acordando!
Sou um admirador dos cabelos assanhados,
Do olho apertado,
Da voz sonolenta...
Daquela minha blusa de botão
Que ela vestiu para dormir.
Nada como o primeiro sorriso do dia!
E todas essas coisas ganham
Esse significado
Quando não são comparadas,
Depois de um susto,
Aquela mulher da noite anterior
Com a cara coberta de maquiagem!
(Não que a maquiagem seja de todo ruim,
Não me levem ao extremo por favor!)
Mas é realmente muito gostosa a sensação de que
O que ela era ontem
Ela é hoje!
É gostosa a sensação da naturalidade!
Fernando Martilis